Sumário

Como tratar dor lombar? essa pergunta é bem recorrente no meu consultório. Oito em cada 10 pacientes que atendo em minha prática clínica chegam à clínica com queixas de dor na coluna e querem uma solução para essa condição. Saber como tratar a dor lombar inespecífica é algo muito importante em nossa realidade social. Vivemos uma realidade em que as dores na região lombar são mais comuns na população jovem em fase produtiva.

Essa condição deixou de ser um problema de saúde e se tornou acima de tudo socioeconômico. Por seus custos para e as empresas, planos de saúde e governo onerados pelos custos com tratamentos e absenteísmo.

Dor lombar como problema social e econômico

As dores lombares inespecíficas são aquelas que não tem uma causa específica associada ao início dos seus sintomas. São dores que sentimos por dias e até mesmo anos e não sabemos definir por que começam e nem mesmo porque ou quando terminam. Esse tipo de dor se caracteriza por recorrências ao longo da vida com intervalos cada vez mais curtos entre as crises que se tornam maiores a cada episódio .

Quando a sentimos não sabemos dizer porque começou e menos ainda porque passou. Esse tipo de dor representa 90% dos casos registrados de lombalgia e tem um custo anual estimado de 100 bilhões nos Estados Unidos. (infelizmente dados tão precisos no aqui no Brasil).

Felizmente já existem evidências científicas que apontam as melhores condutas para tratar deste tipo de dor lombar. E nós fisioterapeutas somos os profissionais mais qualificados para te ajudar a lidar com esse tipo de dor e já foi te contar porque.

Neste artigo vamos apresentar as principais recomendações científicas do jornal europeu da coluna (European Spine Journal) publicado em 2018.

Preste atenção nas linhas a seguir que você irá se surpreender.

Antes de tratar vamos entender o que provoca dor na lombar

A dor lombar inespecífica pode se manifestar por diversas razões. Muitos acreditam que sua causa seja má postura ou movimentos que fazemos errado, mas essa é de longe, e se for, a menor das causas. De um modo geral a dor lombar está associada ao nosso estilo de vida e ao nível de preparo que temos para lidar com as demandas do dia-a-dia.

Abaixar para pegar um objeto ou passar muito tempo em uma posição só vai te provocar dor se você exceder seu limite físico de tolerância àquele tipo de estímulo. Por isso, se você for uma pessoa bem condicionada você tem menos chances de sentir dor lombar.

Má postura e a dor lombar

Existem muitas crenças que dizem que uma postura ruim pode causar dor lombar, porém não existe comprovação científica disso. Isso mesmo, não existem provas de que sua postura é a causa da sua dor na coluna. Como fisioterapeutas acreditamos que a postura de alguém que sente dor é apenas mais um sintoma de que algo não funciona bem no corpo dela e não a causa da dor. Mas por que isso? Imagino que você tenha se questionado.

Basicamente nosso corpo funciona sobre a premissa de máximo resultado para o mínimo de esforço. Essa premissa é uma característica evolutiva que nos permitiu chegar até aqui como raça humana. Mas o que isso tem a ver com a postura? Bem, isso quer dizer que nossa postura é sempre a melhor que conseguimos naquele momento e tentar algo fora disso tende a nos fazer gastar mais energia e assim nos cansar e sentir dor.

Para quem sente dor lombar a melhor postura é sempre a próxima. Até que a causa seja resolvida e a dor cesse devemos interpretar a dor como um aviso dos limites que temos e transitar por ele permanecendo em movimento. Essa é uma das abordagens que usamos no tratamento de dor lombar. Inserir movimento controlado e gradual dentro da tolerância do paciente para melhorar sua função e, enfim , eliminar a dor.

Pegar peso  ou aumentar o esforço físico causa dor lombar

Pegar peso não causa dor lombar. Muitas vezes podemos sentir dor ao carregar algum tipo de peso, mas isso se dá pelo aumento da demanda física para um corpo com pouca capacidade de lidar com essa sobrecarga. Trata-se mais de uma condição do corpo estar despreparado para atender uma demanda do que de algo ser muito pesado. 

Neste contexto, a dor também é um aviso de que a tarefa é maior do que sua capacidade de cumpri-la e que é melhor mudar a forma de executá-la para não se machucar. Neste caso, se você for além seu corpo pode adotar outras estratégias para se proteger como no caso dos travamentos em que ocorrem espasmos que travam a coluna para que o movimento não provoque lesões.  Quem já travou a coluna sabe como é!

Existem também pessoas que fazem movimentos relativamente leves mas que provocam dor pela repetição. Sabe aquela dor lombar depois de lavar vasilhas, passar pano ou passar muito tempo agachado fazendo algo? Pois é, existem pessoas que sentem essa dor por alguns minutos após a atividade e outras que sentem o restante do dia e um pouco no dia seguinte. Essa dor também não é provocada pela tarefa, ela apenas se manifesta durante a realização dela pois o esforço ali é maior. A causa dessa dor geralmente é falta de condicionamento físico ou aumento do gasto energético devido a alguma alteração funcional. Vou falar mais a frente sobre as alterações funcionais, aguenta aí!

Estresse psicológico

Sabe quando você vai ao médico e ele diz que a causa dos seus sintomas é seu estresse? Você pode sair de lá com raiva mas na maioria dos casos ele tem razão. Nosso corpo evolui para usar o estresse como uma ferramenta de proteção e por isso ele modula várias funções do nosso corpo. Dentre elas algumas do sistema nervoso são especialmente importantes quando falamos de dor lombar.

Existem vias do nosso sistema nervoso responsáveis por enviar comandos para que os músculos contraiam. Quando passamos por alguma experiência que nos faça sentir ameaçados, essas vias enviam comandos para os músculos contraírem e nos proteger em caso de risco de vida. O estresse psicológico ativa essas vias nos deixando tensos. Acho que todos já sentimos essa tensão do estresse em algum conflito emocional, ora na lombar ou no pescoço. Com a repetição do estresse e ativação dessas vias alguns músculos se contraem em excesso e acabam se cansando. Quando esses continuam trabalhando, mesmo cansados, passam a enviar mensagens na forma de dor para o cérebro para avisar que se forem além do que dão conta vão se machucar.

Estresse metabólico

Esse é o menos falado e um dos mais importantes e que só consideramos depois de sentir dor na coluna. Uma doença, noites mal dormidas, má alimentação, hidratação e consumo de drogas prejudicam o funcionamento do nosso corpo. Com a nutrição e recuperação reduzidos passamos a nos cansar mais cedo com as atividades do dia a dia e após o cansaço a dor aparece para avisar que chegamos próximos de algum limite. Você já sentiu dor lombar depois de uma noite mal dormida ou um dia que não se alimentou bem? Se sim essa pode ser uma das causas.

 Entendendo a causa antes de tratar

Você já viu que existem várias causas que podem provocar dor lombar. Geralmente a combinação delas está presente na maioria dos meus pacientes e por isso uma boa entrevista sobre o estilo de vida pode me ajudar a encontrar os fatores que levaram ao surgimento da dor e alterações funcionais e de movimento associadas. Essa entrevista me da as informações que preciso para a encontrar e em seguida tratar a dor lombar.

O que são as alterações funcionais e de movimento na dor lombar

Alguns parágrafos acima eu falei sobre a capacidade do corpo de gerir seu funcionamento para que tenha o máximo de resultados com o mínimo de esforço não é mesmo? Essa premissa se aplica o tempo todo e em todas as funções que nosso corpo exerce. Uma vez que executamos uma tarefa ela produz uma demanda que o corpo tenta atender da forma mais eficiente com o mínimo de esforço possível. Algumas tarefas são grandes demais para o corpo lidar e elas produzem um tipo de estresse (mecânico, psicológico e metabólico) que agride o corpo de alguma forma.

Em alguns momentos essa agressão pode produzir dor e em outras não, sentir dor ou não vai depender de vários aspectos e não só da agressão. Independente de resultar em dor ou não essa agressão requer do corpo uma medida de contenção para continuar a funcionar e atender a demanda da tarefa. Essa adaptação é uma alteração funcional que o corpo desenvolve para continuar funcionando e movimentando. Com o passar do tempo, o acúmulo de adaptações funcionais pode prejudicar o movimento e execução de tarefas por aumentar o gasto de energia. 

É nessa hora que começamos a sentir mais cansaço e em algumas vezes dor para manter posturas, levantar peso ou mesmo ficar estressado. Isso se dá pelo acúmulo de adaptações na forma que o corpo funciona e gasto de energia para manter tudo isso. Então como corrigir isso?  Vamos falar sobre no próximo parágrafo

Como tratar dor lombar

Neste texto vamos falar somente sobre o tratamento da dor lombar inespecífica. Se quiser saber mais sobre as causas da dor lombar temos um artigo falando sobre isso. Clique aqui para lê-lo. Como disse antes, a dor inespecífica é um aviso de que algo não funciona bem e se manifesta quando a demanda de trabalho da coluna aumenta por estresse físico, psicológico ou metabólico. O tratamento das causas da dor lombar é multidisciplinar e na maioria envolve especialidades da Medicina, Fisioterapia e Psicologia. Aqui vou falar sobre a abordagem no funcionamento e movimento da coluna para corrigir as causas da dor lombar que é feita na fisioterapia. As causas metabólicas e psicológicas demandam abordagem de médicos e psicólogos.

Evitar o repouso em casos de dor lombar

É isso mesmo! A primeira recomendação para tratamento de dor lombar aguda ou crônica é evitar o repouso. Isso vai contra muitas recomendações que já ouvimos, não é mesmo?

Sempre acreditamos que se machucados precisamos de repouso para sarar. As vezes nem remédio tomamos e quando o fazemos paramos ali.

Quando se trata de dores em músculos tendões e ligamentos o repouso poucas vezes é recomendado. Ou seja, mesmo que com dor, devemos permanecer em movimento. O movimento ajuda a manter o bom funcionamento dos músculos da coluna, auxilia na regeneração dos tecidos machucados e dependendo da intensidade ainda ajuda a liberar hormônios que reduzem a dor.

Resumindo, o movimento é importantíssimo no tratamento das dores na coluna. A grande sacada é saber fornecer movimentos em qualidade, quantidade e intensidade adequadas para seu corpo neste momento. Respeitar o limite da dor e manter sua rotina dentro do que for possível é meu conselho.

Educação como tratamento na dor lombar

Parte do que esse artigo faz é educação em dor, ou seja você já está recebendo tratamento e está mais perto de acabar com a dor.

A educação em dor é parte fundamental no controle e tratamento das causas da dor. Tomar um remédio é a solução mais fácil, mas somente após compreender o processo de dor  você saberá resolver a causa.

A dor como aviso

Entender que a dor é um sintoma, um aviso de que algo não está bem e que ela pode ser influenciada em frequência, intensidade e duração por vários fatores e não só uma lesão é muito importante. Suas experiências prévias com dor, suas crenças, humor, nutrição, condicionamento físico, relacionamento familiar e profissional fazem a forma que você sente dor diferente da minha. Desta forma coisas que para mim são dolorosas podem não ser para você e vice versa. 

Dor alta não é igual a lesão grande

Saber disso é importante pois dessa forma você consegue entender que a quantidade de dor que você sente não é proporcional ao dano ou lesão que você tem na coluna. Na maioria dos casos não há ferimento nenhum mas apenas algo que não está funcionando bem como já mencionei. Desta forma posso sentir uma dor na coluna hoje é uma dor horrível amanhã mesmo que não tenha mudado em nada as alterações funcionais ou nível de lesão na minha coluna. Esse aumento da dor pode ser devido a noite mal dormida, um estresse no trabalho ou em família que me deixou mais sensível aos estímulos dolorosos. Posso também sentir uma dor terrível após lavar vasilhas por cansar demais minha lombar ao ficar debruçado sob a pia sem ter nenhuma lesão séria na coluna e somente pouca resistência dos músculos da minha lombar que fatigarão rápido demais. Para concluir reforço que a intensidade da dor não é proporcional a magnitude do problema e sim a um conjunto de estímulos que produzem a sensação de dor.

Remédios para dor lombar

A prescrição de anti-inflamatórios não esteroides (AINES) também é recomendada para controle dos sintomas. Em casos de dor aguda são recomendados tanto anti-inflamatórios como analgésicos, sendo o paracetamol mais indicado. Já nos casos crônicos somente AINES são recomendados.

Relaxantes musculares, analgésicos opiáceos e antidepressivos também são utilizados mas em menor escala. A indicação destes depende da avaliação médica, ao contrário dos mencionados no parágrafo acima, que são de livre prescrição.

Um segredinho que vou contar só pra você. Existem poucos estudos que demonstram bons resultados de remédios para tratar dor lombar. Na maioria deles os remédios não reduzem dor ou duração das crises e quando demonstram resultados, estes são de curto prazo. 

Minha opinião pessoal é que se a dor está forte e os outros métodos não funcionam e você acredita que pode te ajudar a usar. Porem não o faça sem orientação profissional. Os anti-inflamatórios se usados de forma errada podem atrasar sua recuperação e prejudicar vários órgãos do seu corpo. Os analgésicos reduzem a ação da ferramenta de proteção mais poderosa do seu corpo que é a dor. Reduzir a dor se estiver totalmente curado pode te levar a se machucar mais. Por fim reforço que o que difere o veneno do remédio e a dose e por isso é importante saber como, quando e onde usá-lo.

Terapias manipulativas no tratamento da dor lombar

Técnicas de terapia manual são incrivelmente potentes para tratar dor lombar. Elas produzem resultados equivalentes aos remédios na redução da dor e na maioria dos casos também corrigem a causa do problema. 

São indicadas para o tratamento da dor lombar tanto agudas como crônicas, por melhorar o funcionamento e movimento do sistema nervoso e sua comunicação músculos tendões e ligamentos.

O tratamento promove a  melhora da função nas atividades diárias, redução dos sintomas e aceleração nos processos de autocura do corpo.

Quais técnicas manipulativas usar

As técnicas manipulativas mais conhecidas para tratamento da coluna são a Quiropraxia e a Osteopatia, porém existem muitas outras. A mobilização articular também apresentou bons resultados no tratamento das lombalgias, mas não vamos falar delas neste artigo. Se quiser saber mais clique aqui.

Terapias manipulativas no tratamento da dor lombar

Técnicas de terapia manual são incrivelmente potentes para tratar dor lombar. Elas produzem resultados equivalentes aos remédios na redução da dor e na maioria dos casos também corrigem a causa do problema. 

São indicadas para o tratamento da dor lombar tanto agudas como crônicas, por melhorar o funcionamento e movimento do sistema nervoso e sua comunicação músculos tendões e ligamentos.

O tratamento promove a  melhora da função nas atividades diárias, redução dos sintomas e aceleração nos processos de autocura do corpo.

Quais técnicas manipulativas usar

As técnicas manipulativas mais conhecidas para tratamento da coluna são a Quiropraxia e a Osteopatia, porém existem muitas outras. A mobilização articular também apresentou bons resultados no tratamento das lombalgias, mas não vamos falar delas neste artigo. Se quiser saber mais clique aqui.

Os exercícios terapêuticos na dor lombar

Movimento de um modo geral ajuda a tratar dor lombar, independe da atividade que você escolher sua coluna vai agradecer pois repousar é o problema. Nos casos agudos a limitação pela intensidade da dor pode ser um problema mas é facilmente resolvido com recursos físicos e terapia manipulativas.

Os exercícios possuem grande potencial para a correção mecânica e melhora da função muscular. Como consequência destes ganhos temos a redução dos sintomas, principalmente a dor( se quiser saber mais sobre os outros sintomas da lombalgia clique aqui).

Em suma, essas são as principais recomendações para tratamento da dor lombar inespecífica segundo o European Spine Journal. Espero que este texto tenha sido útil para você e que possa te ajudar e encontrar o melhor tratamento para dor lombar. Se quiser saber mais sobre saúde e tratamento para dor lombar acompanhe o nosso blog.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Precisa de tratamento fisioterapêutico

Pronto para iniciar sua jornada rumo à recuperação? Agende agora mesmo seu tratamento fisioterapêutico na Valore Fisioterapia e dê o primeiro passo para uma vida livre de dor e limitações!

Veja o que mais artigos aqui

Quiropraxia: É Segura ou Perigosa? Mitos e Verdades

Muitas pessoas se questionam sobre a segurança da quiropraxia, uma prática focada no alinhamento da coluna e no tratamento de problemas musculoesqueléticos. Vamos explorar se a quiropraxia é realmente segura ou se apresenta riscos significativos.

Leia mais »

Como aliviar dores nas costas: Dicas simples para melhorar sua qualidade de vida

As dores nas costas podem ser um verdadeiro incômodo, afetando não apenas nossa mobilidade, mas também nossa disposição diária. Se você enfrenta esse problema, não está sozinho. Muitas pessoas lidam com dores nas costas em algum momento da vida, seja devido a má postura, sedentarismo, estresse ou esforço físico excessivo. Felizmente, existem maneiras simples de aliviar essas dores e melhorar sua qualidade de vida.

Leia mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×